10 passos para reduzir seu lixo HOJE!

Um dos maiores problemas ambientais hoje é a criação de lixo desnecessário. Sim, desnecessário porque poderia ter sido completamente evitado desde o início. Nossos avós e as gerações mais antigas tinham práticas que foram, com tempo, sendo completamente modificadas, especialmente com as mudanças na forma de consumo. (Agora vou fazer uma crítica de cunho político e econômico…) É muito viável para as indústrias criarem demanda de itens de consumo que são descartáveis, de modo a fazer com que você, consumidor, não deixe essa roda – chamada econonomia – parar.

No entanto, aceitar essa condição é algo que está em suas mãos. Não podemos nos dar ao luxo de deixar nossos recursos naturais serem totalmente estirpados para gerar dinheiro para grandes indústrias poluidoras. Houve um tempo em que elas não existiam e a economia já havia se estuturado de modo consistente, sem ter uma produção tão acelerada de lixo.  Antigamente era super comum as pessoas comprarem a granel e levarem suas próprias sacolinhas de tecido para enchê-las nas lojas. As pessoas fechavam encomendas com cola feita a partir da farinha do milho, segundo um amigo colombiano. Várias coisas eram feitas de maneira eficaz e sem a necessidade de tantos descartáveis que permeiam o nosso dia-a-dia.

Um dos princípios de reduzir a produção de lixo não é apenas para evitar que esses resíduos chegem aos aterros sanitários; mas para reduzir a demanda da produção dos mesmos. Reduzir a demanda significa que você está literalmente cortando o mal pela raíz, fazendo com que a matéria prima que seria utilizada para a fabricação de um determinado produto não seja mais usada. Sua extração diminui; seu processamento pela indústria diminui; a utilização de energia elétrica e água diminui e, consequentemente, a emissão de gases estufa que seriam emitidos diminui; e, por fim, a quantidade de lixo gerada também diminui.

Continuar lendo

Vivendo Sem Lixo ganha seu primeiro prêmio: Liebster Award!

Caros leitores,

É com enorme satisfação que o Vivendo Sem Lixo é indicado e, portanto, aceita o Liebster Award.

O blog ainda é jovem, bebê, ainda está engatinhando. Inauguramos nossa página no Facebook esta semana e ainda estamos engatinhando como um blog focado no estilo de vida lixo zero.

Diferentemente de muitos blogs mundo a fora, que tocam diretamente na questão zero waste (ou lixo zero), sem muita discussão e justificativa, o Vivendo Sem Lixo tem como objetivo mostrar ao leitor brasileiro uma realidade que está muito escondida dos olhos dele: o problema do lixo. E, para começar, existe o problema da definição do que é o lixo. E, sendo bastante suscinta, o lixo é tudo o que vai parar nos aterros sanitários, sem qualquer tratamento. Portanto, minha tarefa principal aqui é:

1) Como fazer para que seus resíduos deixem de ir para o aterro sanitário (isso vai desde produzir menos resíduos, passando por reutilizar os itens já adquiridos, até a reciclagem máxima dos mesmos).

2) Reduzir seu impacto ambiental de uma maneira geral, já que muito desses materias não precisariam sequer ser descartados a princípio. Vamos mostrar como reduzir de maneira pesada a demanda por materiais e a produção de dejetos (que seriam ou não recicláveis).

Após esta breve introdução, vamos para a parte que interessa: o Liebster Award!

Continuar lendo

O problema do lixo: por que a reciclagem de materiais, isoladamente, não resolve o problema dos resíduos?

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a reciclagem ainda não a única (e nem a melhor) solução para o problema do lixo que produzimos em nossas residências. A afirmação acima pode chocar muitas pessoas – e muitas que acreditam ser ecologicamente corretas por separarem seus resíduos de casa.
Existem vários motivos para essa afirmação (sim, ela é muito perturbadora) e são eles:

Continuar lendo

Uma visão geral sobre o estilo de vida lixo zero: 5 benefícios que esse estilo de vida pode trazer

Primeiramente, vamos à pergunta que não quer calar:
O que é ser “zero waste” ou “lixo zero”?

O movimento lixo zero (“zero waste”)  nasceu a partir da iniciativa de Béa Johnson, ao perceber os problemas que o excesso de lixo (mesmo recicláveis) pode trazer para a sociedade, para o meio ambiente e para a saúde das pessoas. Para Béa há a regra dos 5 Rs: Refuse, Reduce, Reuse, Recycle & Rot (ou seja: Recuse, Reduza, Reutilize, Recicle e Apodreça – este último está relacionado com a compostagem de materiais orgânicos biodegradáveis) e essa regra deve ser adotada na ordem em que se apresenta a fim de minimizar o impacto ambiental geral.

Esta publicação tem como objetivo dar uma visão geral do que é possível fazer para reduzir sua produção de lixo e – pasme – seus gastos. Sim, adotar atitudes mais ecológicas no seu dia-a-dia pode ter um impacto muito positivo para você, inclusive financeiramente. Ou seja, não só existe o benefício icoletivo ambiental, mas também existe um relacionado ao bem-estar físico e mental e, ainda por cima, o benefício econômico! Vamos lá?

Continuar lendo

Comprovantes.

Reciclar: bom, bonito e… barato?

Que reciclar é bom e bonito, já sabemos.

Mas que história é essa de barato? Será que eu consegui chamar sua atenção, caro leitor? Espero que sim!

Pois é, em meio a esta grande crise hídrica e energética, descobri algo muito interessante na cidade de São Paulo (e depois descobri que isso é feito em outras cidades, como no Rio de Janeiro pela Light Recicla): é possível reduzir os custos da sua energia elétrica ao levar seu lixo para os postos de coleta da AES Eletropaulo e AES Sul (Rio Grande do Sul). Para saber em detalhes o que pode ser reciclado nos postos da AES Eletropaulo e AES Sul, clique aqui.

Continuar lendo

É possível uma pessoa comum reduzir seu impacto ambiental?

Essa pergunta pode parecer retórica, mas, mesmo assim, segue a resposta:

Sim.

Mas, então, por que as pessoas não fazem sua parte com relação ao meio-ambiente?

O que as impede de melhorar o mundo e, especialmente, a região onde vivem?

Por que é tão difícil mudar de hábitos?

No Brasil ainda temos muito o que fazer, o que aprender e muita mudança de hábitos pela frente. E é por isso que estou, hoje, inaugurando este blog, que tem como objetivo mostrar que é possível, sim, mudarmos nossos hábitos diários e mudarmos o mundo.

Sempre me considerei acima da média com relação à preocupação com o meio-ambiente, mas recentemente resolvi mudar drasticamente meus hábitos diários, principalmente inspirada por atitudes radicais e positivas como a da Béa Johnson, da Lauren Singer e da Anne-Marie Bonneau – blogs situados em outros países, especialmente de língua inglesa e não tão facilmente acessíveis a todos os brasileiros cuja língua materna é o português – que quero compartilhar com você, leitor, o que eu venho aprendendo e quero incentivá-lo a mudar de atitude!

Sim, juntos, podemos mudar o mundo!
Vamos começar?

Finalizo este post com uma frase que me inspira a criar este blog:

Seja a mudança que você deseja ver no mundo – Mahatma Gandhi

Fique atento aos posts. Em breve começaremos nossa jornada para tornar nossa vida mais verde, diminuindo nossa pegada ambiental!

Observação: a estética e estrutura do blog ainda estão em fase de estruturação.